Caso BNA

Quim Ribeiro foi exonerado

Última hora

A medida surge como uma das primeiras consequências dos resultados do inquérito que visava averiguar a conduta do comandante provincial da Polícia em Luanda. Os próximos desenvolvimento poderão ser a sua despromoção e, em consequência, a sua prisão, se forem encontrados indícios criminais na sua ligação ao caso do roubo de milhões do Banco Nacional de Angola.

O comandante provincial da Polícia de Luanda, comissário Joaquim Vieira Ribeiro, foi hoje exonerado do seu posto, segundo uma nota do Comando Geral da Policia Nacional citada pela ANGOP.

O comandante “Quim Ribeiro” esteve suspenso das suas funções desde finais de Outubro, enquanto decorria um inquérito sobre a sua eventual participação no desvio do dinheiro roubado do Banco Nacional de Angola e encontrado na posse de um funcionário da instituição.

As notícias relacionadas com o comandante e com este caso indicam também que estará a ser verificada a sua eventual participação na morte de um oficial superior da polícia como forma de eliminar provas, já que, segundo várias fontes, o superintendente chefe “Joãozinho” estaria na posse de informações que poderiam incriminar o comandante.

Director da DPIC detido

António João, director provincial dade Investigação Criminal de Luanda, terá sido detido ontem, Segunda-feira, 6 de Dezembro, segundo uma fonte policial. A fonte não esclareceu se a prisão está relacionada com o caso do comandante Quim Ribeiro, mas chamou a atenção para o facto de, alegadamente, estarem envolvidos elementos da DPIC no assassinato do superintendente-chefe Joãozinho.

Além de Quim Ribeiro, têm sido ouvidos, em sede de inquérito, o comandante municipal de Viana, o seu adjunto e o director municipal da DPIC de Viana.

 Veja também todas as notícias sobre o BNA de O País

Por: José Kaliengue Em: 07-12-2010 23:14:00
Nome

E-Mail

Comentário


Enviar Comentário


Voltar à homepage de O País

 

    Caso BNA pode ‘expirar’

    O jurista Lazarino Poulson defendeu em entrevista a O PAÍS que o caso BNA deveria ser julgado imediatamente, se a instrução preparatória já tiver sido concluída pelo Tribunal Provincial de Luanda, aonde disse crer que o processo já foi remetido.
     


    Magistrados do caso BNA ameaçados de morte

    O  Procurador-Geral da República, João Maria de Sousa, denunciou esta quarta-feira, na cidade do Lubango que está a ser feita uma perseguição aos magistrados do Departamento Nacional e Investigação e Acção Penal (DNIAP) traduzida, entre outras, em ameaças de morte, por intervirem directamente no combate ao crime organizado e não só.
     


    Bancos

    Juros: BNA desce taxa de redesconto para 20%

    O Banco Nacional de Angola baixou novamente a taxa de redesconto no espaço de poucos meses. A taxa de redesconto, que havia descido, no último trimestre de 2010, de 30% para 25%, passou, a partir do passado dia 6, terça-feira, a situar-se nos 20%.
     


    Justiça

    ‘Caso BNA’ ainda sem data de julgamento

    O escândalo do desvio de mais de cem milhões de dólares das reservas líquidas do Banco Nacional de Angola, continua sem data de julgamento, decorridos que estão aproximadamente doze meses sobre a conclusão do inquérito pela Procuradoria-Geral da República, revelaram fontes do Cartório da oitava secção dos Crimes Comuns do Tribunal Provincial de Luanda.
     


    Suspeitas

    Quim Ribeiro investigado sobre fundos do Parque da Chicala

    A gestão dos fundos provenientes do Parque da Chicala, onde são transferidas todas as viaturas que transgridem as regras de trânsito, foi alvo de uma investigação dos técnicos dos Serviços de Inteligência e Segurança do Estado (SISE), para apurar as responsabilidades do comissário Joaquim “Quim” Ribeiro em relação ao suposto descaminho de um milhão e 740 mil dólares norte-americanos.