| info@opais.net
Parcialmente encoberto
Luanda
Clique para aceder á Revista
RSS

Alves Simões desiste da FAF

Alves Simões já não disputa as eleições para a presidência da Federação Angolana de Futebol, FAF, prevista para o dia 20 de Maio, soube esta semana OPAÍS. Apesar de nunca ter oficializado à sua candidatura, nos bastidores o ex-presidente do Interclube era tido como um dos “abençoados” para substituir Justino Fernandes, tendo inclusive elaborado uma lista da qual faziam parte Nando Jordão, Jorge Mário Fernandes e Cardoso Lima.

Esta semana, o ex-presidente do Interclube recuou na decisão de concorrer para a presidência da Federação Angolana de Futebol.

Segundo fontes próximas ao dossier eleições na FAF, foi lhe retirado o apoio e transferido para Pedro Neto, ex-presidente do 1º de Agosto e embaixador na Zâmbia.

A mesma situação acontece com Santos Bikuku, presidente da Associação da Lunda -Sul, que manifestou a intenção de concorrer, mas disso não passou. Bikuku foi o primeiro assumir-se como candidato, mas se desconhece as razões da sua desistência. Entre os seus colegas e comentadores desportivos, o presidente da Lunda-Sul tinha poucas hipóteses de chegar à presidência da FAF.

A desistência «forçada» de Alves Simões e Santos Bikuku deixa o caminho aberto para Pedro Neto e Artur Almeida disputarem a cadeira que durante onze é ocupado por Justino Fernandes. Pedro Neto, o ainda embaixador de Angola na Zâmbia, reúne a preferência de pessoas como Bento Kangamba, e outras pessoas.

Pedro Neto vai incluir na sua lista Alves Simões, como um dos vicepresidentes; e convidou igualmente José Luís Prata, Osvaldo Saturnino “Jesus”, Akwá e outros para integrar a sua lista. Já Artur Almeida pretende contar com Tomás Faria, vice-presidente do Petro de Luanda, António Gomes “Tony Estraga”, directorgeral do Progresso do Sambizanga e Pedro Garcia, director provincial do Desporto de Benguela, e Alexandre Canelas vice-presidente do Interclube.

Entretanto, o ex-presidente do 1º de Agosto está condicionado a assumir a sua candidatura por ser ainda embaixador de Angola na Zâmbia.

Para concorrer precisaria de ser exonerado do cargo, podendo ou não acontecer dependendo  da vontade do chefe do Executivo.

O Ministério dos Desportos não respondeu ainda a solicitação da Comissão Eleitoral, que pede o cumprimento dos prazos estabelecidos nos Estatutos da Federação Angolana de Futebol, FAF. Esse documento fala em noventa dias como prazo mínimo para realização de eleições, o que não será cumprido caso as eleições ocorram no dia 20 de Maio.

As associações provinciais não respeitaram o cumprimento deste prazo e solicitaram a realização das eleições no próximo dia 20 de Maio, quando os Estatutos rezam que o prazo mínimo deve ser de 90 dias.

Esse mesmo documento diz que os mandatos devem ocorrer de quatro e em quatro anos e devem coincidir com o ciclo olímpico.

Se assim fosse, as eleições só podiam acontecer no próximo ano, criando-se deste modo uma comissão de gestão para conduzir os destinos da Federação Angolana de Futebol (FAF) até aos fins de 2012, altura em que termina o actual mandato.

Teixeira Cândido
15 - 4 -2011
 
2
 
 
 

Newsletter



Subscreva tambem a newsletter da Exame

Capas da edição nº 281

 
 
 
Assine OPaís Online