| info@opais.net
Muito nublado
Luanda
Clique para aceder á Revista
RSS

Mundo

Obama anuncia sanções contra regimes onde há ciber-repressão

As tecnologias deveriam existir para dar poder às pessoas, e não para as oprimir”, disse Obama esta segunda-feira durante um discurso no Holocaust Memorial Museum, em Washington.

Na sua ordem executiva, Obama afirma que o “uso maligno da tecnologia” está a facilitar os abusos dos direitos humanos no Irão e na Síria e que isso constitui uma ameaça à segurança nacional dos EUA.

Um comunicado da Casa Branca anunciou que esta ordem executiva “autoriza sanções e proibições na emissão de vistos contra todos aqueles que cometem ou facilitam graves abusos aos direitos humanos através de tecnologias da informação”, nomeadamente nos regimes “sírio e iraniano”. “Esta ferramenta permite-nos sancionar não apenas os governos opressivos, mas também as empresas que fornecem a tecnologia usada na opressão e as ‘armas digitais’ que operam sistemas usados para monitorizar, seguir e identificar os cidadãos”, indicou o mesmo comunicado, citado pelo The Guardian.

Entre os elementos abrangidos pelas novas sanções estão a Directoria Geral dos Serviços Secretos sírios; Ali Mamluk, o director destes mesmos serviços e a empresa telefónica Syriatel. No Irão estão abrangidos a Guarda Revolucionária Islâmica, o ministério iraniano para os Serviços Secretos e para a Segurança, as forças de imposição de lei da República Islâmica do Irão e a empresa Datak Telecom.

Estas sanções significam que estas pessoas e entidades estão proibidas de entrar nos EUA e que o governo norte-americano tem autorização para apreender os bens e propriedades que estas detenham na América.

O Presidente lamentou que as “sementes do ódio” tenham tantas vezes florido. “O mundo falhou demasiadas vezes na prevenção do massacre de inocentes”, disse o Presidente, que anunciou que a nova “direcção para a prevenção de atrocidades” da Casa Branca se irá reunir pela primeira vez na segunda-feira. A finalidade deste organismo é prevenir e dar resposta a atrocidades e crimes de guerra.

Este discurso de Obama acontece numa altura em que os EUA enfrentam o desafio de liderar uma solução internacional que ponha fim à repressão que o regime do Presidente Bashar al-Assad está a levar a cabo na Síria contra o seu próprio povo. “A soberania nacional nunca é uma licença para massacrar o próprio povo”, disse Obama.

2 - 5 -2012
 
1
 

Comentários

  1. jorgealfredo
    2012-05-18 13:25:53
    que assim seja nao podemos dar treguas as ditaduras
Nome

E-Mail

Comentário


Enviar Comentário
 
 

Newsletter



Subscreva tambem a newsletter da Exame

Capas da edição nº 281

 
 
 
Assine OPaís Online