| info@opais.net
Muito nublado
Luanda
Clique para aceder á Revista
RSS

Crime

Bárbara Nogueira espancada até à morte

Os restos mortais da cidadã Bárbara Menezes de Sá Nogueira, 38 anos, funcionária do Banco Millenium Angola, cujo corpo foi encontrado com vários golpes de faca no tórax e abdómen, bem como sinais de tortura, na manhã desta segunda-feira, 3, nas imediações do Kikuxi, em Viana, repousam desde quarta-feira no cimenteiro do Altos das Cruzes.

Apesar de os peritos da Direcção Provincial de Investigação Criminal de Luanda (DPIC), que estão a conduzir o processo, ainda se encontrarem numa fase inicial da investigação, detiveram a cidadã Judith da Silva como sendo a principal suspeita do crime.

Segundo Atos Nogueira, marido da vítima, a jovem assumiu a sua participação no crime ao ser interrogada pelos investigadores sobre o caso, sem precisar se contou com a ajuda de outros indivíduos, e indicou o local onde se encontrava o corpo.

Está ainda por se esclarecer qual o argumento que ela terá usado para convencer a presumível amiga a ir com ela até ao sítio onde viera a assassinada. Tendo em conta que a malograda saiu de casa com o propósito de ir levar a filha, Pérsia Alexandra Meneses de Sá Nogueira, de 11 anos, à escola e depois reunir-se com um dos clientes do banco em que trabalhava, cujo nome também não foi revelado até ao fecho da presente edição.

A informação sobre o desaparecimento da jovem Samora, como carinhosamente era chamada pelos mais próximos, foi tornado público quatro dias antes, isto é, na sexta-feira, 30, por um dos seus irmãos, em entrevista ao programa radiofónico Jovial Cidade, da Rádio de Luanda, conduzido por Patrícia Faria e Bismark José.

Desesperado, a jovem informou por telefone que já a haviam procurado em toda a parte, inclusive na residência que ela e o esposo estavam a construir, na comuna do Benfica.

Na altura, Atos Nogueira, encontrava-se no exterior do país e, ao tomar conhecimento do desaparecimento da sua amada, regressou imediatamente para juntar-se aos familiares e amigos que a procuravam incansavelmente pelas ruas de Luanda. Alimentava a esperança de que estivesse bem de saúde e que, caso se tratasse de um rapto, os seus algozes poderiam ligar a qualquer momento para exigir dinheiro em troca da sua libertação.

De acordo com um dos familiares, esta hipótese acabou por ganhar maior consistência quando os polícias encontraram o automóvel, de marca Nissan, modelo Juke, de cor branca, da gerente da agência sede do Banco Millenium Angola, no parque de estacionamento de um dos edifícios onde vivia a acusada.

Este facto levou os policiais a descartarem a possibilidade dela ter sido vítima de assalto e adoptaram um novo método de investigação que os levou até à suposta autora do homicídio.

Alguns dias antes de a acusada ter sido detida pela Polícia Nacional, o esposo da malograda tentou entrar em contacto com ela para obter alguma informação que pudesse contribuir para a descoberta do paradeiro da sua companheira de vários anos, sendo que ela se mostrava indisponível.Ele só conseguiu realizar o tão almejado encontro com a ajuda de um amigo que a convenceu, mas, durante as cerca de duas horas que conversaram no interior da sua viatura, não notou nada de anormal que pudesse ligar Judith da Silva ao assassinato da sua companheira.Na residência da malograda, o ambiente de dor e luto está bem patente no rosto da sua mãe que está a ser tranquilizada à base de calmantes, as filhas de 17 e 11 anos estão inconsoláveis, enquanto Atos Nogueira, o esposo, prossegue fazendo diligências juntos da Polícia para apurar os reais motivos que levaram ao assassinato da sua amada.

Os familiares da vítima descartam a possibilidade de elas terem sido amigas e consideram que esta é uma versão que a acusada está a tentar passar, mas que não condiz com a realidade pelo facto de a única amiga que ela tinha responder pelo nome de Cláudia.Eles aguardam ainda ansiosamente pelos pronunciamentos do Comando Provincial de Luanda da Polícia Nacional sobre esta matéria, tal como prometeu o ministro do Interior Ângelo da Veiga Tavares, nesta quarta-feira, em declarações à imprensa, à margem do velório dos três agentes da Polícia Nacional, mortos no município de Cacuaco.

A jovem Judith da Silva vivia com o esposo e os filhos.

Ciúmes e dinheiro entre as causas do crime

A autora confessa do assassinato da jovem Bárbara de Sá Nogueira “Samora”, então gerente de um balcão do Banco Millenium Angola, relatou durante as primeiras investigações que o crime teve como razão uma suposta relação íntima com a vítima.

De acordo com uma fonte deste jornal, Judith da Silva explicou que houve um desentendimento por causa do envolvimento de uma terceira pessoa que se terá intrometido no seu seio.

De acordo com as informações avançadas pela homicida confessa, tudo aconteceu quando Bárbara deslocou-se ao seu apartamento num dos novos edifícios construídos nas proximidades da Feira Internacional de Luanda (FILDA).

Durante a discussão, Judith revelou às autoridades que inicialmente a vítima espetou-lhe um porta-mina e em resposta espetou-lhe uma faca e outras até que esta veio a sucumbir.

A fonte revelou ainda que depois de a homicida contou que depois de ter consumado o assassinato colocou o corpo da companheira numa mala. A seguir telefonou para o motorista que a ajudou a depositá-lo no porta-bagagem de uma viatura.

O passo a seguinte foi transportar o corpo de Bárbara de Sá Nogueira para uma obra nas proximidades da vala do Kikuxi, em Viana, com ajuda do motorista.

Este último encontra-se neste momento detido pelo facto de ter encoberto o crime, segundo as fontes deste jornal. “Ele não participou directamente no crime, mas devia ter participado à Polícia”, acrescentou a fonte. Uma outra fonte assegura que estará também entre o móbil do crime uma suposta dívida, estimada em cerca de 15 mil dólares norte-americanos, que a malograda reclamava do seu carrasco.  

Desaparecida desde o dia 30 de Maio, as informações iniciais apontavam para o facto de Bárbara ter levado inicialmente a filha à escola e posteriormente deslocou-se às imediações da FILDA para uma reunião de negócios.

O seu carro, um Nissan Juke, seria encontrado com a matrícula encoberta nas redondezas do salão de exposições.

Este jornal apurou que Judith já possui alguns antecedentes. Pessoas que lhe são próximas avançaram esta semana que ela viveu durante largos anos na Holanda, onde acabou por fazer um filho com um cidadão deste país.

Por causa de supostos maus-tratos, a justiça holandesa retirou-lhe a custódia do filho, tendo sido o posteriormente entregue a uma instituição social.

Segundo ainda as mesmas fontes, Judith terá raptado o próprio filho. Viajaram de táxi entre Holanda e Lisboa, onde posteriormente apanhou um avião com destino a Angola.

Por causa desta suposta fuga, segundo as fontes que avançaram a informação, a homicida confessa arranjou problemas com a justiça holandesa.



11 - 6 -2013
 
39
 

Comentários

  1. mario joel
    2013-10-17 22:20:26
    ESsa judith tem 3 filhos 1 de 14 outro de 17 e uma que fez 4 anos eu conheço tudos eles e so soube disso
  2. angolana
    2013-09-12 20:38:57
    coitada da senhora Ana q disse aí no início q prefere ficar desempregada em portugal q trabalhar em Angola, então p ti Portugal é o paraíso. coitada, de ti, crimes como este acontecem em qualquer parte do mundo,ou nao assistes as notícias do teu país das maravilhas? emigrantes assassinados, xenofobia, racismo, sua estúpida, estes hábitos e práticas xtao a ser importados lá do ocidente, dos tais países do 1 mundo ( nunca ouviu falar em crime passional?) continue mesmo aí, a viver da ajuda da segurança social. sua parasita....
  3. Cristina nahime
    2013-08-30 11:13:19
    Esta mulher e realmente maluca' doente' precisa. De tratamento ela tem que seguir a malograd
  4. ana
    2013-08-29 14:30:45
    Prefiro ficar desempregada em Portugal a trabalhar em Angola!!!! País horrível!!!
  5. Ernesto pitete
    2013-08-25 22:58:55
    Que maldade meu Deus... Esta le'sbica sem vergonha merece ficar em casa durante 100 ano depe'... Se morre ou n sou Deus sabe... O meu forte abraco pra a familia en lutado..
  6. massata
    2013-08-15 20:49:26
    Justiça a cima de todo
  7. Armando germanó.kanu
    2013-08-06 15:50:24
    Olha omelhor castigo é meter abarbara noma sela onde há muintos rapazes. Etodos foderem agaja mas com moita força. Ate amorte
  8. Megnela da Cruz
    2013-08-03 08:14:19
    realmente sinto muito pelo q aconteceu, é uma grande desumanidade e crueldade acima de tudo a Judith não merece ter advogado de defesa ela sim merece empurrar os comboios com os dentes. meu Deus faça justiça e q ela morra? preza a comer o arroz sem óleo e o feijão cru sem óleo e sem
  9. José Neto
    2013-07-31 11:47:15
    Pessoas como essa não merecem perdão, igual o senhor joaquim .....
  10. Adibrown
    2013-07-26 15:09:06
    Q a justiça se faça sentir
  11. vanirela
    2013-07-20 19:05:14
    Deus dê força a família Nogueira pois tu és o único consolador.que acto bárbaro isso não se faz ela tão calculista,pôr amiga numa mala !!!!!? só Deus miseric
  12. Bolton de Castro Horácio
    2013-07-19 18:10:44
    Sinto muito pelo que aconteceu! Só Deus é quem sabe e o mesmo fará justiça... Os meus pêsemes carissimos familiares da malograda
  13. samaratania
    2013-07-18 18:55:00
    que barbaridade a mais a jutiça sera feita judithe vai pagar muito caro isto sera um odio q ira de jeração a jeração nesta familia ela exqueseu
  14. Adão Senga
    2013-07-18 07:34:41
    E com muita dor e consternação, que desejo a esta família os meus sentimentos e prometo contribuir com o necessário possível para ver a responsável deste triste acontecimento na cadeia
  15. aurio
    2013-07-15 22:15:55
    sinto muito com o k se passo no meu caso esta mulher na falta de cuidados merece e falar com psicologo!! cumpri em holanda 15 anos e em angola presão perpetua..
  16. Nilton Venancio Vanuel
    2013-07-15 13:43:06
    Infelizmente agora as pessoas querem alcacar o objectivo a todo custo, sem querer se importar com os meios que lhes levam ate a mesma, mas devemos saber que a vida e o de mais precioso que deus nos deu,por favor respeitem a vida podem ate roubar mas nao matem porraaaa
  17. Santos Manuel
    2013-07-13 22:47:40
    A vida pertence a Deus só a eles pode tirar e darte uma nova vida .e por isso vas pagar pelo crime cometido .ai sera
  18. Santos Manuel
    2013-07-13 22:33:20
    Boa noite a família,os meus pêsames.e com muita dor e lágrimas que eu escrevo estas palavras .dis a Bíblia sagrada tudo tem o seu tempo de terminado, Provérbio capitolo 3'1'4 assim Será porque Deus trara a sua justiça .assim como deu ao homen para julgarem os prevaricadores.toda sua mentira da judeth será revelado porque ela vai pagar por seus crimes .filhos e marido e família que ,Deus vos proteger todos oa dias.Deus não vai deixar passar assim .
  19. Ana Lemos
    2013-07-13 11:35:45
    super triste
  20. paulo sérgio aníbal
    2013-07-11 22:46:27
    Penso q em Angola deveria existir pena de morte, pra crimes desta natureza. Q mostrosidade, meu Deus onde vamos parar, isso prova q estamos nos últimos dias
  21. jeny jose
    2013-07-11 21:55:49
    no meu caso ajudth já teria estado morta pelo crime cometido por ela; sito muito pelos familiares da Noguera q a sua alma descanse empaz ela tem d estar mor ou condenada amorte porq se não for algum dia irá cometer o mesmo erro
  22. talita luhame
    2013-07-11 21:48:51
    realmente isso é muito chocante da pra notar até onde a maldade dos homens pode chegar essa assassina merece a pena de morte como ela teve coragem meu Deus
  23. Ambrósio Domingos Nunes
    2013-07-11 10:52:15
    Algumas pessoas pensam q a vida de alguém tem preço, por artigos, dinheiro e outras mais cometem crimes. Angola tem de ter pena de morte, talvés isto vai redimir tais comportamentos desumano..
  24. Abílio Pedro Chimuco
    2013-07-10 23:25:55
    É um acto sádico, horrendo e abominável. Essa Judith é uma sacripanta! Por favor,façam justiça,a autora desta atrocidade não pode ficar impune. Para a familia aqui vai o meu abraço fraterno e solidário. Deus ajude a todos vocês
  25. Kalusuekiko Alberto
    2013-07-10 21:22:05
    É verdade que esta notícia país em p
  26. teresa
    2013-07-10 19:07:09
    qui maldade jovem tao linda tao assasina, o adevogado que defende-la e porque e cumpsi
  27. Engrácia V. Menquila
    2013-07-10 12:54:02
    Realmente sinto muito pelo q aconteceu, foi uma desomanidade total, e tudo calculado da parte da homicída. Ela é uma psicopata, e precisa d um acompanhamento com psiquiatra, e psicólogo.
  28. Alberto Ribeiro
    2013-07-10 10:58:18
    È dificil acreditar neste tipo de barbaridade aqui em nosso País, e quando acontece ficamos no " PORQUÊ?". Esta senhora k cometeu este acto de INJUSTIÇA, será corajosa de mais ou uma ASASSINA em SERIE? Na minha opiniao ela ja havia feito isso antes. Nada do que ela dizer, ou quantos anos de cadeia esta ASASSINA apanhar não sera o suficiente para pagar a DOR de uma MÃE, FILHAS, MARIDO, FAMILIARES E AMIGOS, xtao a passar e a sentir. QUE SI FAÇA JUSTIÇA POR BARBARA NOUGEIRA. Os meus pessamos a familia enlutada. "QUEM NÃO VIVE PARA SERVIR, NÃO SERVE PARA VIVER" e vc é uma delas JUDITH
  29. yury
    2013-07-10 09:43:37
    a Judith tem muito que contar.esta história ñ me convence.O advogado que estiver a defende lá terá tmbem veias assassinas.Justiça seja feita.deveria ser julgada á publico em nome do povo.
  30. Tony Moniz
    2013-06-19 09:41:23
    não há argumentos,desculpas ou motivos nenhuns que justificam um ser humano pensante ou não,tirar a vida de outrem!Que,se faca justiça a dimensão
  31. Celso alexandre
    2013-06-19 08:21:08
    Vamos morrer mxmo aos poucos, tdo p causa do maldito dinheiro
  32. Btuno Hector
    2013-06-18 07:52:57
    Hoje em dia as pessoas estãoa perder o respeito pela vida
  33. Jjoel Bumba Damba
    2013-06-17 08:41:35
    esta pessoa deve estar presa antes de ser julgada,porem por mim a sua pena deve durar no minimo 5 anitos
  34. adalberto santos
    2013-06-14 09:56:23
    esta mulher devia ja pagar pelos crimes cometidos a muito tenpo porque pessoas como estas qui deus mim perdoi mas tinham que ter a mesma morti.
  35. Jonas
    2013-06-13 18:03:17
    As autoridades devem tomar medidas para que atos dessa natureza não voltem a se verificar. Alguma coisa deve ser feita. Angola não deve ser convertida numa favela brasileira onde tudo pode acontecer
  36. Alberto Raul
    2013-06-13 13:30:42
    Sei q dificilmente conceguimos controlar as reaçoes do momento, por Mai's q tenha traido ou suposto ivolvimento de terceiro, nao da o direito de tirar avida de alguen porque vejamos, o primero golpe de faca q Ela feis na vitima seria o suficiente para o descontrolala , uma vex q Ela Dix q foi en legitima defeza, mas quando Ela golpeia pela segunda ves Então a intençao foi mesmo para chegar no extremo en q Ela chego, lamento q neste momento ja nao Sao os erros q tens q enfrentar mas sim as concequecias força ema
  37. Cidália Chingumbe
    2013-06-13 11:29:22
    Muito corajosa a senhora Judith e também muito fria, mas exigimos que se faça justiça a morte da cidadã Bárbara e que revele toda verdade porque ainda tem muito que contar
  38. Bemvindo pictorio mauila mauila
    2013-06-12 15:58:18
    a pessoas sem medo neste mundo! naminha o pinio a judthe! tem muito para contar
  39. adlemos
    2013-06-12 00:35:27
    pelo que esta ela a dizer nas declarações prestadas ao orgão de investigação da policia ela esta a querer transmitir a ideia de que ela tera agido em legitima defesa, na minha opinião ela estas a ser instruida por alguem o ela deve ter premeditado o crime da tal forma que ate os argumentos de defesa ela ja havia pensado mas ela esta a esquecer-se de um detalhe se ela premedito esta acção criminal ela esqueceu-se de que para que se consedere uma legitima defesa um dos elementos esencias é a compatiplidade entre os meios utilizados pelo agresor e os meios utilizados por aquele que pratico a acção de legitima defesa logo se ela a agrediu com um porta minas a faca não seria o meio de defesa a utilizar por esta ser considerada arma branca o que torna o crime cometido por ela um excesso de legitima defesa
Nome

E-Mail

Comentário


Enviar Comentário
 
 

Newsletter



Subscreva tambem a newsletter da Exame

Capas da edição nº 281

 
 
 
Assine OPaís Online