| info@opais.net
Muito nublado
Luanda
Clique para aceder ao site do jornal
RSS

Férias escolares

Quando as crianças ficam por sua conta

O exemplo da E.B. F
As férias das crianças em Luanda são preenchidas maioritariamente com passeios as casas das tias, tios, padrinhos, avos etc. São poucos os pais, que programam uma viagem ou um passeio com os filhos, pois as férias dos pais dificilmente coincidem com as dos filhos.

Texto: Telma Van-Dúnem

Algumas crianças ligadas à Igreja Metodista Unida aproveitam o tempo de férias para participarem num programa denominado E.B.F (Escola Bíblica de Ferias). Este programa tem como objectivo ocupar crianças na época de férias, instruindo-as no “caminho certo” por intermédio de canções, histórias bíblicas, brincadeiras e outros conselhos de forma a serem úteis à igreja e à sociedade.
O programa tem a duração de quinze dias e ocupa diariamente 4 horas: das 8 às 12 horas. Depois deste período as crianças regressam às suas casas. Segundo alguns encarregados de educação, depois das aulas da E.B.F as crianças ocupam-se com os deveres de casa e alguns exercícios escolares para não se perderem totalmente dos assuntos académicos.
As actividades da E.B.F, no entanto, não ocupa apenas crianças, os jovens voluntários da igreja acabam, também eles, por desfrutar da oportunidade de fazer alguma coisa útil no tempo de férias, oferecendo-se como monitores das crianças.

Dinheiro dos pais faz diferença

Fátima Morango, de 13 anos de idade, ocupa as suas férias com actividades como a participação em acampamentos que se vão organizando em várias províncias do país, passeios turísticos e excursões realizadas pela Igreja. Quando não há actividades limita-se a ficar em casa.

 Aquelas crianças cujos pais têm mais possibilidades económicas ocupam o resto do tempo, depois da E.B.F., com outras actividades, é o caso de Daniel Francisco, de 11 anos de idade, que para além de participar na E.B.F ocupa-se em aulas de natação e com as explicações sobre matérias escolares dadas pela mãe.

Pascoal Domingos, encarregado de educação, realça que no pouco tempo que tem de folga não programa nada para cobrir o repouso académico dos seus filhos, alegando que não possui um meio de transporte próprio.  

Esperança João, mãe de uma criança que frequenta a E.B.F. no Cazenga, Luanda, diz ser vantajoso o surgimento deste programa da Igreja Metodista Unida, visto que alegra as crianças e as educa, permitindo assim que as suas férias não sejam um completo vazio.

Waldney Oliveira
24 de Janeiro de 2012
11:27
 
0
 

Comentários

Nome

E-Mail

Comentário


Enviar Comentário
 
 

Newsletter



Subscreva tambem a newsletter da Exame

Capas da edição nº 281

 
 
 
Assine OPaís Online